PTfranchising.com
Perguntas frequentes

Area developer

Designação atribuída à pessoa ou empresa que compra a um franchisador os direitos de exploração de um franchising para um país ou região. Ao contrário do master franchisado, o area developer não sub-franchisa, explora por conta própria.

Contrato

Documento onde deverão estar explicados os direitos e deveres que regulamentam a relação estabelecida entre franchisador e franchisado.

Não existe período mínimo nem máximo para a sua duração e pode ser automaticamente renovável.

Direct franchising

Técnica de expansão de uma rede para mercados estrangeiros em regime de franchising na qual o franchisador opera directamente, sem recurso a master-franchisados. O franchisado estabelece uma parceria contratual directa com a casa-mãe no país de origem.

Esta técnica é normalmente usada quando um conceito estuda a viabilidade da sua marca num mercado desconhecido.

Direito de entrada (initial fee)

Montante a pagar pelo franchisado ao franchisador, habitualmente no acto de assinatura do contrato, para entrar na rede.

O valor estipulado está associado à notoriedade da marca, ao know-how e ao package e apoio oferecidos pelo franchisador na fase de abertura da primeira unidade ou de cada nova unidade.

Exclusividade territorial

Expressão designada para designar a concessão do franchisador ao franchisado de um determinado espaço geográfico de actuação (raio de acção).

Por contrato o franchisador compromete-se a não implantar nessa área ou região outras unidades susceptíveis de prejudicar o bom desempenho comercial de um franchisado já existente.

Franchisado

Pessoa ou empresa que adquire ao franchisador os direitos de exploração e a tecnologia de um detrminado conceito de negócio.

Franchisador

Pessoa ou empresa que detém os direitos originais do franchising. É a ele que cabe ceder os direitos do uso da marca e sistema a outrem (franchisado) através do sistema de franchising.

Franchising

Formato de negócio que envolve uma relação entre duas entidades: franchisador e franchisado. O primeiro concede ao segundo o direito de utilizar a marca, explorar os seus produtos e/ou serviços e conceito, adoptando o seu modelo de gestão, marketing e comunicação mediante o pagamento de um determinado valor.

O franchisador poderá responsabilizar-se pelo controlo de qualidade e processo de assistência, bem como pela orientação e formação do franchisado na respectiva área de negócio.

Investimento total

Valor que resulta da soma do direito de entrada ao investimento necessário para iniciar actividade. Dependendo da opção chave-na-mão, este valor pode incluir obras, decoração, mobiliário, material informático, stock, etc.

No investimento total nunca está incluído o valor do imóvel (aquisição ou arrendamento).

Manual de operações

Documento confidencial sobre o know-how que o franchisador cede ao franchisado. Nele devem estar contidas todas as informações necessárias para o exercício da actividade, de modo a permitir ao franchisado iniciar a sua actividade de forma célere e com sucesso. A sua devolução é obrigatória quando o franchisado abandonar a rede.

Master Franchiser

Pessoa ou empresa que compra os direitos de exploração de um franchising para um determinado espaço geográfico (região, país ou conjunto de regiões ou países).

É o responsável por desenvolver uma rede através de udidades próprias e/ou sub-franchisings.

Return on investments (R.O.I)

Rácio de rentabilidade dos investimentos efectuados. É um bom indicador do valor de mercado da marca.

Royalties

Taxa paga pelo franchisado ao franchisador ao longo da relação contratual. Esta prestação é periódica e, geralmente, estabelecida com base numa percentagem sobre a facturação da unidade franchisada.

Taxa de publicidade

Verba paga por todas as unidades da rede (incluindo as do franchisador) para um fundo comum gerido pelo franchisador e que se destina a ser aplicado na promoção da marca através das mais diversas acções de comunicação (marketing, sponsoring e publicidade).

Turnover

Termo que designa a rotação de franchisados numa rede. Um elevada taxa de rotatividade pode prenunciar problemas na rede.

Unidade piloto

Loja pertencente ao franchisador onde este testa e experimenta o seu conceito ou respectivos up-grades.

É o local ideal para testar novos produtos e/ou serviços antes de os introduzir nas restantes lojas da rede.

Unidade própria

Loja mantida pelo franchisador, usualmente com o objectivo de se manter próximo da actividade como forma de, in situ, melhor prestar apoio aos franchisados, nomeadamente no que diz respeito ao treino e formação, bem como ao teste e ensaio de novas soluções de gestão, produtos e/ou serviços.

A unidade própria pode, e deve, igualmente, servir de projecto-piloto no estudo da viabilidade do uso do franchising como forma de expansão de um futuro negócio ou reconversão de um já existente.